Sobre o blog:

“A humanização do nascimento não representa um retorno romântico ao passado, nem uma desvalorização da tecnologia. Em vez disso, oferece uma via ecológica e sustentável para o futuro” Ricardo H. Jones

domingo, 4 de dezembro de 2016

MÃES COM MEDO DO ESCURO

"Algumas mães são sozinhas com os seus bebés e isso faz-me sempre ficar mais preocupada com elas. Porque são mães solteiras ou porque o marido está a trabalhar longe.

Ou porque se sentem muito isoladas, ainda que estejam acompanhadas.

A noite é longa e escura e pode ser difícil de atravessar a sós. 
Surpreendi-me bastante ao longo destes anos com o número de mães que me confessaram ter, elas próprias, “medo do escuro”.

É importante encontrar pontos de apoio se estamos sozinhas com os nossos bebés, na mesma medida em que é importante aproveitarmos a oportunidade para reflectirmos de onde vem esse nosso “medo do escuro”, porque às vezes ele pode estar a vir de as noites serem tão difíceis com o nosso bebé ou pode vir bem mais lá de trás.
(...)

Estas são as mães que trago mais vezes comigo em pensamento. E partilho com elas algo que me ajudou a mim também sempre que senti que a noite estava a ser longa demais, difícil de atravessar.

Sempre que velei uma bronquiolite ou um febrão dos meus filhos, sempre que sosseguei um terror nocturno e a seguir fiquei eu desperta com o meu coração a bater rápido e descompassado enquanto o meu bebé já dormia sossegado nos meus braços, sempre que adormeci inquieta com algo, sempre que não houve mais que eu pudesse fazer do que simplesmente estar ali, a fazer-me de forte enquanto desejava que a manhã chegasse depressa e com ela a luz tranquilizadora do dia, houve algo que me acalentou nessas noites:

A ideia de que não estamos sozinhas. 
Na verdade não estamos sozinhas.

Em todo o mundo há mães a atravessar a noite, preocupadas com os seus filhos. Preocupadas com a sua segurança. Com o dinheiro para os sustentar. Com a sua felicidade.

Há mães que atravessam a noite não sabendo se os seus filhos sobreviverão porque estão gravemente doentes. Ou se as bombas de uma qualquer guerra as atingirão.

Há mães que não conseguem descansar, não porque os filhos não durmam, mas porque simplesmente não é seguro dormir.

Nos momentos mais difíceis, e ainda assim tão menores do que outras mulheres estarão a passar algures, se em algum momento me surge o meu próprio medo do escuro, penso em todas estas mães e envio-lhes um pensamento de coragem, uma vibração de amor.

Consolo-me por saber que somos fortes e conecto-me com esta energia que cuida e que nos une.

Todas as noites, em todo o mundo, há mães que velam o sono dos filhos.

Nós somos apenas mais uma."

(Constança Cordeiro Ferreira in «O Livro de Magia das Mães» ed. Matéria Prima, Julho de 2016)

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

O Parto como experiência iniciática



Durante o parto, uma mulher abre-se a todos níveis : físico, emocional e espiritual, para dar à luz o seu bebé. 

É uma experiência iniciática: é um momento de encontro com o portal entre a vida e a morte, onde se vais buscar uma nova alma ... Não só a do bebé... Também a da nova mulher... A mãe! 

Parabéns C. Sê bem-vinda L.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Como é que nasceu o teu filho?

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=2db4oSIIAAI

Custa ver que nenhuma das pessoas (nem o pai ) se apercebeu que o bebé estava desesperado, até desistir... As primeiras sensações que este ser  teve quando nasceu foram de impotência, ausência de carinho e indiferença...  Todos sabemos que a forma como somos "acolhimentos" à nascença nos influencia e determina a nossa maneira de ser!


Sabiam que o vosso bebé, foi ( ou vai ser )aspirado?
Aspiração e sondagem – Através de uma sonda, são aspiradas as mucosidades e outras substâncias da boca, nariz e garganta do bebé. Nem todos os profissionais de saúde consideram essencial esta operação, em especial nos casos em que o recém nascido apresenta sinais fortes de que está a respirar bem. O mesmo se passa com a sondagem desde a boca até ao estômago. Há quem defenda que só assim se confirma que não existem mal-formações e que o bebé está em condições de começar a mamar. Mas também há quem entende que é preferível não sondar e só o fazer se surgirem sinais de que algo não está bem. E tu o que achas?

E o corte do cordão????
Clampagem ou corte do cordão umbilical – É feita com duas pinças cirúrgicas. Uma é colocada a poucos centímetros do corpo do bebé e outra um pouco mais afastada. O corte é feito entre as duas. Por norma, não se espera que o cordão deixe de pulsar para realizar o corte, mas a Organização Mundial de Saúde defende este compasso de espera, pelos benefícios a nível da oxigenação do sangue do bebé e o aumento das reservas de ferro. Entao porque nao se espera???????????

Sabiam que no vosso bebé, colocaram ( ou vão colocar )gotas nos olhos ?
É administrado ao bebé um colírio ( clorofenicol ) que se destina a prevenir eventuais infecções oculares causadas por microrganismos presentes no canal de parto. Nos casos mais graves, essas infecções podem levar à cegueira. Porém, alguns pediatras questionam a necessidade deste procedimento nos casos em que a mãe não seja portadora de doenças infecto-contagiosas. ( eu coloquei um pouco deste colírio nos meus olhos... fiquei praticamente sem ver....)

E o Teste de Apgar? Foi desenvolvido pela pediatra norte-americana Virginia Apgar e é o método de avaliação global da vitalidade do recém-nascido, baseado na pesquisa dos sinais clínicos mais característicos e fáceis de detectar. Testa cinco parâmetros: frequência cardíaca, respiração, tónus muscular, reflexos e cor da pele. Cada parâmetro pode variar do 0 ao 2, sendo que 10 é o melhor resultado possível. O teste é realizado ao 1.º e 5.º minutos de vida – na esmagadora maioria dos casos – e ao 10.º minuto, nas situações em que o bem-estar do bebé apresente dúvidas, MAS pode ser feito o colo da mãe!!!!

Vitamina K – Na primeira semana, o organismo do recém-nascido não produz esta substância vitamínica, necessária à coagulação do sangue. Assim, para prevenir hemorragias – nomeadamente relacionadas com o coto umbilical, o umbigo e partos com forceps ou ventosas, – é ministrada uma dose por injecção intramuscular. No entanto, existem países onde esta administração é feita de forma oral.

Vale a pena pensar como são recebidos os nossos filhos... a maioria das vezes separados das suas mães para fazerem intervenções desnecessárias!!! Se for necessário fazer algum tipo de intervenção que seja no COLO MÃE!!!!!

Vulnerável eu sou...

"Partilhar a nossa vulnerabilidade com alguém não é apenas uma forma de nos ajudarmos a nós mesmos, expondo a nossa verdade, a nossa maravilhosamente falível humanidade. É oferecer ao outro espaço para também ele mostrar-se tal como é: imperfeito."

terça-feira, 29 de novembro de 2016

~ SabemOs Parir ~


~ SabemOs Parir ~ 

)O( Circulo de cura multidimensional para mulheres grávidas )O(

~ CelebrandO entre irmãs O prazer de parir mOrrer e renascer ~ 

"Temos que contar toda a verdade sobre o nascimento: A verdade que inclui a transformação, o domínio, a satisfação, o poder pessoal e a diferença entre dor e sofrimento."

(Cheri van Hoover)

~ gestar ~ parir ~ amar ~

~ o útero sagrado ~ o ninho do bebé

~ a vulva e o canal do parto ~ o portal da mOrte 

~ a dura passagem de menina a MULHER ~

"Porque parir, é passar de um estágio a outro. É um rompimento espiritual e como todo rompimento, provoca dor. O parto não é uma enfermidade a ser curada. É uma passagem para outra dimensão". 

(Laura Gutman)

~ as contrações como fonte de força para o parto ~ a rendição e a entrega ~ a passagem para o OutrO lado do véu 

"As mulheres se perguntam porque as contrações são tão dolorosas, porque são tão fortes... Mas o que uma mulher precisa saber é que a força da contração, é a força de seu próprio corpo.

Ela é tão forte como a contração.

E assim ela é capaz de dominá-la."

(Erin Fullam - Parteira)

~ no parto como no sexo ~ 

~ activação das memórias da sabedoria das nossas ancestrais ~ sabemos PARIR!

Local: Serra de Sintra 

Data:  21.dez.2016 ~ YULE~
Solstício de Inverno

Yule é noite de parto, é noite de nascimento...

Valor de troca:25 euros

Horário 10h ~ 21h

Material necessário e outras informações serão dadas no acto da inscrição .

Parirempaz@gmail.com

sábado, 26 de novembro de 2016

Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher



Foi no passado dia 25 de Novembro...Um dia por todas as mulheres do mundo

Em 1999, as Nações Unidas (ONU) designaram oficialmente 25 de Novembro como Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher.

Antes desta indicação da ONU, o dia 25 de Novembro já era vivido pelo movimento internacional de mulheres. A data está relacionada com a homenagem a Tereza, Mirabal-Patrícia e Minerva, presas, torturadas e assassinadas em 1960, a mando do ditador da República Dominicana Rafael Trujillo.

Não nos permitirem mandar no nosso corpo também é uma forma de violência, pensem nisto, pensem como um parto pode ser violento... Pensem como uma episiotomia pode ser mutilante...


Se foste vítima...se foste testemunha...
Não tenhas medo de denunciar!!

Em Portugal ligar em caso de urgência 800202148.

Pedir apoio à APAV- Associação de Apoio à Vítima http://www.apav.pt/home.html
707200077 - email: apav.sede@apav.pt

No Brasil :http://www.ipas.org.br/violencia.html
ou ligue para o número 180 ( atendimento Nacional).



Spot Violencia Obstétrica from FlorMujicaon Vimeo.

domingo, 20 de novembro de 2016

Advento: tempo de espera



Advento - adventus, em latim - significa vinda, chegada. É uma palavra de origem profana que designava a vinda anual da divindade pagã, ao templo, para visitar seus adoradores.  
Quatro domingos antes do Natal, inicia-se o Advento. Este ano inicia-se no dia 27 de Novembro. É já no próximo domingo! 
Para nós é simbolizado por uma coroa feita de ramos de pinheiro com 4 velas, esta coroa é feita por nós, com arame coberto com uma fita vermelha a prender os ramos verdes. Cada semana que antecede o Natal está relacionada com um reino da natureza, que se prepara para a Grande Noite.

1º. Domingo - Reino Mineral – Vela Azul
2º. Domingo – Reino Vegetal – Vela Verde
3º. Domingo – Reino Animal – Vela Amarela
4º. Domingo – Homens – Vela Vermelha

No próximo domingo vamos fazer a coroa e acendemos a vela azul .

Neste momento as fábricas estão a trabalhar em alta velocidade para fornecer o MUNDO com pilhas monstruosas de bens à custa de trabalho ESCRAVO. 

Nós fazemos diferente. 

Eu convido-vos a PENSAR.

 Quem precisa de MAIS um presente para meter numa gaveta, embrulhado em papel de embrulho chinês? Todo o homem - sim TODOS poderiam receber um BELO CORTE DE CABELO, numa barbearia ou CABELEIREIRO bem PORTUGUÊS!! Falem com os vossos cabeleireiros/barbeiros locais para passarem certificados de presente!! Gosta de GINÁSIO?! É apropriado para todas as idades e melhorara a saúde!

Quem não gostaria de receber uma lavagem personalizada para o seu carro? 


Pode-se criar uma cadeia Nacional de presentes locais, destinados a AJUDAR a ECONOMIA LOCAL, em vez de alimentarmos os GIGANTES que nos sufocam!

Quantas pessoas não poderiam usar uma mudança de óleo para o seu carro, ou moto, feita numa pequena oficina com trabalhadores portugueses?

Está a pensar num presente do coração para a mãe? Aposto que a Mãe AMARIA os serviços de uma empresa de limpeza. 



OK, você estava à procura de algo mais pessoal. Existem certamente muitos artesãos locais a tricotar os seus próprios lenços e cachecóis, bem como naprons... tudo com bela qualidade Portuguesa!! Fazem jóias, cerâmica e caixas de madeira bem bonitas.
Planeie passeios em família comendo em restaurantes locais, e aproveite para comprar algum bom artesanato para oferecer! E, que tal sair para ver um jogo ou um teatro na sua cidade? Ofereça bilhetes para um espectáculo da sua zona!

Músicos também precisam de amor, assim que encontrar um local que apresenta bandas locais.

Como podem ver, o Natal não precisa de ser uma drenagem dos nossos bolsos.

O Natal passa a ser importar-nos com Portugal e com os POSTOS DE TRABALHO DOS PORTUGUESES, encorajando as pequenas empresas Portuguesas para continuar a trabalhar para seguir os seus sonhos. E, quando nos preocupamos com outros Portugueses, estamos a preocupar-nos com as nossas comunidades, e os benefícios vão voltar para nós. 

Esta é tem de ser a nova tradição de Natal. A nossa passa por fazermos os nossos presentes para oferecer com muito amor e carinho.




domingo, 25 de setembro de 2016

~ Usar o poder das Afirmações durante a gravidez e o parto ~


Uma afirmação é tudo o que dizemos ou pensamos... e muitas vezes, algumas das coisas que dizemos são geralmente negativas e não nos ajudam a criar boas experiências de parto. Nós podemos reeducar a nossa maneira de agir, falar e pensar e torná-la mais positiva.



Muitas vezes dizemos: "Eu não quero uma cesariana..." e esqueço-nos de expressar claramente o que queremos, por exemplo "Eu quero um parto vaginal". Para criar as novas experiências que realmente desejamos, devemos de ser claras ao expressar os nossos desejos.



Fazer afirmações é como semear sementes no solo: primeiro germinam, depois criam raízes que crescem e, finalmente, brotam para a luz. Leva tempo para transformar uma semente em planta. O mesmo se aplica às afirmações. Há que ter paciência e acreditar!



Nós podem ter o parto que quisermos, porque possuímos as ferramentas para isso.

Essas ferramentas são nossos pensamentos e crenças - o que chamamos de afirmações ( e o nosso corpo que foi feito para parir ) 

Uma afirmação é qualquer coisa que nós dizemos ou pensamos.


Uma afirmação abre a porta, é o ponto de partida do caminho para a mudança. É como se dissemos ao nosso subconsciente: "Estou a assumir a responsabilidade. Estou consciente de que posso fazer algo para mudar."

Repito: cada pensamento que temos ou cada palavra que pronunciamos é uma afirmação.


As afirmações expressam as crenças a respeito de nós e do mundo, que vão sendo construídas desde a infância. Uma criança criada com respeito e amor, que se sentiu acolhida e valorizada, tem uma visão - uma crença - a respeito de si mesma bem diferente daquela que foi abusada, ignorada, desrespeitada. É muito fácil imaginar o que acontece com cada uma dessas crianças. A primeira vai gostar de si mesma, vai acreditar em sua própria capacidade, vai-se relacionar amorosamente com os outros e não se deixar desrespeitar. A outra estará sempre na defensiva, esperando hostilidade dos outros, relacionando-se com eles como a pessoa desvalorizada que acredita ser, deixando-se desrespeitar.

Talvez digas que desejas ter, por exemplo, um parto natural, mas sua crença mais profunda a impedirá de fazer isso, porque não se sente merecedora um parto natural porque, por exemplo, alguém te disse que não ias aguentar a dor...


As nossas crenças são capazes de nos fazer felizes, mas também podem estar a limitar a nossa possibilidade de criar exactamente as coisas que desejamos. O que nós queremos e aquilo que acreditamos merecer podem não ser a mesma coisa. É preciso estar atento aos pensamentos e às palavras que dizemos para começar a eliminar aquelas que criam as experiências que não desejamos na nossa vida.



Tem pensamentos felizes sobre a tua gravidez e o  parto. Basta isso. E é viável. A escolha do modo de pensar é exactamente isso: uma escolha. Tu tens a sensação de que os pensamentos invadem a tua mente sem o teu controle. É esta a grande mudança: a partir de hoje... de agora... deste exacto momento... podemos escolher mudar o nosso modo de pensar. Não penses que é um processo mágico e que tua vida vai mudar de uma hora para outra. Porém, se  persistires e escolheres diariamente ter pensamentos agradáveis, positivos, que te dêem satisfação, sem dúvida irás perceber aos poucos mudanças positivas....


O único momento em que vivemos é o momento presente. É o único tempo sobre o qual temos controle. "O ontem é passado, o amanhã é um mistério e o hoje é uma dádiva que chamamos de presente".


Fazer afirmações é escolher conscientemente ter certos pensamentos que irão gerar resultados positivos no teu parto. No início é mais difícil, e podes até  achar que é um processo ridículo e irreal. Mas vence a resistência e insiste. Posso garantir que essas afirmações positivas começarão a mudar teu modo de pensar. Declarações afirmativas vão além da realidade do presente, até a criação do futuro, através das palavras que usas agora.


É importante fazer as afirmações no tempo presente. Por exemplo, afirmações típicas começariam da seguinte forma: "Eu tenho...", ou "Eu sou..." Se  disseres: "Eu terei...", ou "Eu serei...", o teu pensamento ficará no futuro. O Universo recebe os teus pensamentos e palavras literalmente... Sempre! Esta é outra razão para manter uma atmosfera mental feliz.


Pense desta forma: todo o  pensamento é importante, portanto não desperdices os teus preciosos pensamentos. Todos os pensamentos positivos trazem benefícios à sua vida. Todos os pensamentos negativos levam as coisas boas e colocam-as fora de alcance. Podes ter a certeza: um acúmulo de pensamentos negativos cria uma barreira contra as afirmações positivas!


Quando começares a  prestar atenção ao que pensas, vais-te aperceber a quantidade de pensamentos negativos. Aos poucos, quando te surpreenderes com um pensamento negativo, dirás: "Este é um pensamento antigo, escolho não pensar mais desta forma." Em seguida, substitui o pensamento negativo por um positivo o mais rápido que puderes. Pensamentos de amargura, ressentimento, acusação e culpa fazemte infeliz. E este é um hábito  que deves libertar... Por isso nada de pensar que o bebé não vai passar... ou que não vais conseguir dilatar!


Usa desde já algumas destas afirmações:


"Eu posso sentir-me bem!"


"Eu posso fazer mudanças positivas em minha vida!"


"Eu posso conseguir o parto que desejo!"


Não te esqueças que:

"O homem é aquilo que pensa."

(James Allen)


e que


"Todas as grávidas podem ter o parto que desejam!"

(Catarina Pardal :)


Recomendo os livros de Louise Hay, apesar de não conhecer nenhum especifico para a gravidez e parto, foi neles que me baseei para escrever este post.

sábado, 3 de setembro de 2016

terça-feira, 30 de agosto de 2016

"Eu vou tentar ter parto natural"

Quando dizemos "vou tentar" estamos a dizer algo semelhante a isto: vou ver se consigo, mas se não conseguir não faz mal porque eu estou apenas a tentar.

O que eu sugiro é retirar a palavra "Tentar" e substituir por "Eu vou fazer" - neste caso "eu vou ter parto natural" ou " Eu vou ter parto normal" ou ... " EU VOU PARIR EM PAZ " 

Assim estás a dar ao teu cerebro a indicação de ação com uma intenção específica. 

Boas escolhas! 

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Como ajudar um bebé que nasce por cesariana

"O bebé que nasce de Cesariana não passa pelo canal vaginal, certo? Não é espremido nem sente a sua força interior de "fazer força". Ele simplesmente é retirado, sem fazer nada por isso. 
A nível emocional e comportamental (ainda que inconscientemente) será uma criança e um adulto que espera que as coisas aconteçam, que não reconhece o seu valor, a sua força interior, a sua capacidade para fazer acontecer. 

E quando este parto acontece, o que podemos nós, mães, pais, doulas, terapeutas, tias, avós, fazer para minimizar estes danos?"

No blog, http://uaumama.blogspot.pt/2016/06/como-ajudar-um-bebe-que-nasceu-por.html

terça-feira, 14 de junho de 2016

Tomar ferro durante a gravidez?

É importante lembrar que o ferro em excesso inibe a absorção de zinco que faz crescer o bebé. E como o ferro tem propriedades oxidantes, aumenta a produção de radicais livres que pode aumentar os riscos de preeclampsia.

A mãe pode comer um raminho de salsa todos os dias se acha que não comsome ferro suficiente em todos os outros alimentos.

"Effects of routine oral iron supplementation with or without folicacid for women during pregnancy"
Rev 2006
http://www.cochrane.org/reviews/en/ab004736.html

Resultado:"There is not enough evidence to determine with confidence if routinedaily or intermittent iron or iron-folic acid supplementation inpregnancy improves functional and health outcomes for women andbabies"

na página 193 do livro A cesariana do Michel Odent ele diz:

"Um estudo britânico envolvendo mais de 150 000 gravidezes mostrou que o peso médio mais elevado á nascença correspondia ao grupo de mulheres que tinham uma taxa de hemoglobina entre 8,5 e 9,5. É quando a taxa de hemoglobina não consegue vir para baixo de 10,5 que aumentam os riscos de nascimentos de bebés com pouco peso, de partos prematuros e de preeclampsias."

Façam as vossas escolhas! 

Vitamina k nos recém-nascido? Sim ou não?





A administração de vitamina K nos recém-nascidos é uma forma de profilaxia contra a doença hemorrágica do recém-nascido.Na década de 50 (antes da vitamina K começar a ser utilizada de forma profilática) aproximadamente 4 a cada 1.000 nascidos apresentavam a doença. Até o presente momento, preconiza-se a administração de vitamina K em todas as crianças, pois as conseqüências desta hemorragia podem ser graves, justificando uma ação preventiva eficaz. A administração de Vitamina K é realizada nos hospitais ( mas nem sempre ) através de uma injeção intramuscular na coxa do RN. Apesar de eficaz, esse procedimento é invasivo e muito doloroso. Podem-se obter índices semelhantes de proteção contra a doença administrando a vitamina K via oral, em doses repetidas (no dia do nascimento, e após 1 ou 2 semanas de vida). Deve ser ressaltado que os recém-nascidos com maior risco para doença hemorrágica, a saber, prematuros com baixo peso ao nascimento, com complicações perinatais, filhos de mães que usaram anti-convulsionantes, anticoagulantes e tuberculostáticos na gestação, devem receber a profilaxia na forma intramuscular. Ou seja, lactentes de alto risco devem receber a vitamina K intramuscular. E lactentes de baixo risco (bebês a termo, saudáveis, sem nenhuma complicação) podem receber a vitamina K via oral, ou não. Informem-se. 
INJECTAR VITAMINA k a TODOS os recém-nascidos é um crime!
Se o bebé for amamentado com leite materno exclusivamente e sob livre demanda não seria necessária a sua administração e mesmo assim somente em casos pontuais, apesar da corrente que sustenta que o leite materno seria uma fonte limitada da vitamina K. Por outro lado, as doses usadas nos hospitais sequer seriam totalmente satisfatórias no caso em que a tal doença hemorrárgica aconteça, de modo que a rotina por si só deveria ser revista.




A Vitamina K injectavel não é apenas uma vitamina! Primeiro de tudo é sintético. Em segundo lugar, contém ingredientes tóxicos.
Como podem ver nas fotografias  contém polissorbato 80, álcool benzílico e alumínio. 
INFORMEM-SE!

quarta-feira, 8 de junho de 2016

8 de Junho - Dia Internacional de Alerta sobre os Tampões.



Passa a palavra!!
Se ainda usas tampões não deixes de ver este site!

Alice Kilvert morreu com síndrome  de shock toxico por usar tampões. Os copos menstruais e/ou os pensos naturais são uma alternativa para a nossa saúde e para a saúde da Terra.
DIVULGA!
Tampon Alert - Exposing the Dangers of Toxic Shock Syndrome
Http://www.tamponalert.org.uk

terça-feira, 24 de maio de 2016

Ter febre é bom!


Quando se tem febre, as mães dão medicamentos para baixar a febre, é rápido, fácil, mas pode sair caro... à saúde dos nossos filhos. 

É normal as crianças ficarem doente, doenças como gripe, varicela, sarampo, etc, fazem o sistema imunológico funcionar, fortalecer e amadurecer. Depois de uma doença nota-se muitas vezes um pulo no desenvolvimento.
 

Não gosto de ver os meus filhos doentes, MAS TER FEBRE É BOM....significa que o sistema imunológico está a funcionar. A febre tem um papel fundamental na dinâmica do nosso sistema imunológico, activa a libertação de anticorpos e de outras substâncias de defesa que vão permitir ao organismo lidar com possíveis "invasores", é esse mesmo calor que inibe o crescimento de bactérias e aniquila os vírus, ou seja, o calor renova o organismo. Isté reconhecido pela comunidade científica tradicional. 
Já repararam que depois de um episodio de febre, perguntamos sempre "então, está melhor?"

O que eu faço? Tento ter calma, paciência (as vezes é difícil depois de noites mal dormidas) e confiança em mim como mãeA atenção vai toda para os meus tesouros, a casa e o trabalho fica para outro dia...Dou muito colo....muito mimo....
Devem de estar a pensar.... "não usas antitérmicos?"
Só quando a febre ultrapassa os 41º C ( nunca me aconteceu, e mesmo assim consultava um homeopata). Para evitar que a febre exceda estes limites "abuso" de recursos naturais ( por exemplo rodelas de limão nas solas dos pés) recorro a medicamentos homeopáticos e faço Reflexologia. Durante a febre respeito a falta de apetite dos meus filhos, porém é muito importante que bebam líquidos (água, chá ou sumo) 

Antitérmicos sintéticos e antibióticos precisam ser usados com muito critério, e somente sob prescrição médica (eu sou vou ao homeopata) 


Então e as CONVULSÕES? o grande mito! 

Ao contrário do que se teme, são episódios raros (3% das crianças), não dependem do grau de febre, isto é, não é mais comum ocorrer aos 40º do que aos 38ºC. 

É importante saber que a febre não é uma doença em sim, mas uma maneira de defesa do nosso organismo,  a febre baixa ou alta não está relacionada com agravidade da doença. Não se justifica a preocupação excessiva com a febre, devemos de saber a sua causa, e não simplesmente baixa-la, atrapalhando a actuação do sistema imunológico. A cultura do medo da febre e a tendência de combate-la instalou-se na nossa sociedade em virtude de uma grande estratégia de marketing da indústria farmacêutica. 

A febre esta relacionada com o desenvolvimento da individualidade dos nossos filhos. 

quarta-feira, 11 de maio de 2016

O meu desejo para o Parto em Portugal é...



Participem na campanha "Desejos para o Parto em Portugal", que culminará numa exposição entre 13 a 31 de Maio no Centro Cultural de Cascais, em celebração da Semana Mundial pelo Parto Respeitado. 
Profissionais de saúde e famílias são convidados a expressar os seus desejos de como gostariam que se nascesse em Portugal, enviando um pequeno texto e uma "selfie" para geral@associacaogravidezeparto.pt . As "selfies" serão partilhadas online. 
A exposição contará com os retratos de pais, mães e profissionais de saúde captados pela fotógrafa profissional e doula Lieve Tobback.

Vamos fazer ouvir a nossa voz, e juntar a sociedade civil, o poder político e os profissionais de saúde nesta causa que é de todos nós!

Todos afinal queremos a mesma coisa, independentemente dos nossos desejos particulares, experiência, filosofia e vivências: um parto seguro e respeitado para as mães e bebés de Portugal.

Deixo o meu testemunho: 


image1.JPG

DESEJO QUE AS MULHERES DE MÃOS DADAS GRITEM "EU QUERO PARIR EM PAZ! " ( independente do que parir em paz signifique para cada uma ) e que o eco das nossas vozes se faça ouvir pelo mundo inteiro. 

Desejo que todas as mulheres se sintam apoiadas incondicionalmente independentemente do parto que escolhem, e se lembrem da sua capacidade inata para fazer nascer um bebé.

Um parto feliz e activo não gera apenas bebes saudáveis, gera mães felizes e confiantes, garante um vínculo mais intenso entre mãe e filho, gera mulheres mais fortes e poderosas. É de famílias assim que Portugal precisa! 


Catarina Pardal
Doula, Educadora Perinatal, CAM, Ativista pelos Direitos no Parto e Mãe.


sábado, 23 de abril de 2016

Disponibilidade para amamentar

Somos mamíferos- ainda que esquecemos- porque temos mamas. E todas as mamíferas foram designadas para amamentar suas cria. Portanto, todas somos capazes de nutrir ao bebê recém nascido com o leite que vem naturalmente do interior de nosso corpo. É verdade que o conceito “natural” está completamente manipulado pela cultura, por isso nos ater ao que é ou não “natural” costuma parecer-nos bastante complexo.



Então depositamos tantas fantasias no alimento, no que é bom ou não oferecer ao bebê, que o “dar de comer” se converteu em todo um problema para as mães modernas. Inclusive dar de mamar passou a ser algo difícil de conseguir, algo que há que superar, controlar e estudar ao pé da letra para ter sucesso. É estranhho que em somente 50 anos da recente história é esquecemos a natureza, a simplicidade e o silêncio com que as mulheres sempre amamentaram aos nossos filhos desde que existe a humanidade.


A realidade é que a amamentação é fundamentalmente contato, conexão, braços, silêncio, intimidade, amor, doçura, repouso, permanência, sono, noite, solidão, fantasia, sensibilidade, olfato, corpo e intuição, ou seja, tudo é muito distante das receitas pediátricas e de todos os “deve ser” que pretendemos cumprir no papel de mães.


Tempo sem Hora

A amamentação falha quando a colocamos dentro dos parâmetros de “melhor alimento”. Quando calculamos, medimos, pesamos ou estamos atentas às quantidades e tempos em que o bebê tomou ou deixou de tomar. Não se trata de pensar no que come. Se trata de estar junto. É algo tão “natural” que esquecemos-o. Porque quase não mantemos relações afetivas de modo simples, sem projetos nem objetivos. 



Para ser uma boa mãe, acreditamos que devemos dar ao bebê o melhor. E se o melhor não é quantificável, a amamentação falha.


A questão vai além dos desejos ou ilusões sobre um bom alimento, somos um exército de mães que não podemos dar de mamar aos nossos filhos, somos mães a quem nos sangram os mamilos, nos ferem e o pior de tudo: o bebê volta a pedir como se não houvesse sido suficiente o que mamou uma hora antes. Temos a sensação de que as contas nunca dão bons resultados em matéria de amamentação. Não se pode viver assim!



Pensemos que nenhuma de nós cria seus próprios filhos de modo diferente de como vive a vida cotidiana. Se somos obsessivas e cuidadosas, assim seremos no vínculo com o bebê, Se temos postas nossa identidade no sucesso profissional, assim seremos com o bebê. Se não podemos deixar de pensar, assim seremos com o bebê. Se temos milhões de interesses pessoais, assim seremos com o bebê. Se a autonomia e a liberdade pessoal são pilares da nossa identidade, assim seremos com o bebê. Se nos nutrimos das relações sociais, assim seremos com o bebê. Enfim, revisando a vida que construímos antes do nascimento do bebê, poderemos reconhecer facilmente que distância há entre nossa vida e a proposta para uma amamentação feliz. 
Não uma amamentação com sucesso, porque ao bebê não lhe importa o sucesso, o aumento de peso segundo as curvas estabelecidas ou as horas de sono. Falo de felicidade e do bem-estar do bebê. 

Bebe em êxtase após mamada




Falo do bebê conectado, que busca o olhar da mãe e sorri. Falo de bebê que não se conforma se não está no colo. Falo do bebê sereno na medida em que perceba um máximo de prazer.





Prazer e conforto, para um bebê recém nascido, é tudo o que se assemelhe ao útero onde morou por 9 meses. Ou seja, contato permanente, alimento permanente, movimento, calor, ritmo cardíaco, suor, odor e o doce timbre da voz de sua mãe. Se isto se sucede, o leite materno flui. Não há mais segredo que o repouso, a disponibilidade corporal, a intimidade e a disposição para ter o bebê “sempre coladinho” durante as 24 horas do dia.
Porém, a realidade cotidiana das mulheres é muito distinta. Acostumamos nos preparar para o parto, mas não para a maternidade. Ou, em todo caso, não nos preparamos para abandonar a autonomía que adquirimos com muito esforço e vontade.



Portanto, digamos com todas as letras: para dar de mamar temos que estar dispostas a perder toda a autonomia, liberdade e tempo para nós mesmas. É uma decisão. Na medida em que optemos por uma modalidade, perderemos vantagens na outra. Explicando de outra forma: se nos apegamos a nossa liberdade pessoal, possivelmente o bebê tenha que se conformar com outros alimentos, porque mãe e filho não encontrarão prazer nem relaxarão na amamentação. Ou, ao contrário, se decidimos dar prioridade a amamentação, perderemos liberdade e vida própria.



Ambas as situações, amamentação e liberdade, não são compatíveis. Ninguém pode determinar o que é que cada qual deve fazer. Mas sim é importante que saibamos o que ganhamos e o que perdemos frente a cada decisão.



 Gutman, Laura. Livro: A revolução das maes: o desafío de nutrir aos nossos filho, pg 99-101

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Ecografias 4D o novo negócio da China

Para quem acha que as células estaminais são o negocio da China, engana-se redondamente!

As  "Ecografias Emocionais " estão na moda e vieram para ficar! 



Esta ecografia  não tem relatório médico e pode ser feita pedido dos pais, sem razão médica !!! Mais grave é que garantem que as ecografias não fazem mal nenhum aos bebés!



Para que não restem duvidas: 


"...there are at least a dozen studies that show damage from ultrasound including damage to the biochemistry of the child, damage to the immune system, and delayed maturation of the central nervous system...

...now revealing an excess incidence of leukemia in the children born to mothers who were exposed to diagnostic ultrasound during pregnancy.

...ultrasound has replaced x-rays during pregnancy...

...and the doctor says 'oh you don't have to worry about ultrasound - that's what they use to detect submarines'


 Robert Mendelsohn on Pregnancy and the Dangers of Ultrasound
http://youtu.be/YfaUQCp6L1s


Study Shows Potential Dangers of Ultrasound in Fetal Development
https://www.asrt.org/content/News/IndustryNewsBriefs/Sono/studyshows062408.aspx

FDA Cautions Against Ultrasound "Keepsake" Images
http://www.sdms.org/pdf/FDAKeepsake.pdf

Ultrasound Can Affect Brain Development
http://birthofanewearth.blogspot.com/2011/09/www.truthout.org/issues_06/080806HA.shtml

Ultrasound and the Alarming Increase in Autism
http://www.midwiferytoday.com/articles/ultrasoundrodgers.asp

Fetuses can hear ultrasound examinations
http://birthofanewearth.blogspot.com/2011/09/www.newscientist.com/article/dn1639-fetuses-can-hear-ultrasound-examinations-.ht%C2%ADml

Keeping Fetus Cool Through Pregnancy
http://massagetoday.com/mpacms/mt/article.php?id=13670

Prenatal exposure to ultrasound waves impacts neuronal migration in mice
http://birthofanewearth.blogspot.com/2011/09/www.pnas.org/cgi/content/abstract/103/34/12903?maxtoshow

Stephens Routine Doppler & Ultrasound in Pregnancy
http://birthofanewearth.blogspot.com/2011/09/www.cochrane.org/reviews/en/ab001450.html

Ultrasound Affects Development of Murine Brains
http://www.medpagetoday.com/OBGYN/Pregnancy/3882

Obstetric Myths Versus Research Realities:A Guide to the Medical Literature
http://www.hencigoer.com/obmyth/">http://www.hencigoer.com/obmyth/

Effects of frequent Ultrasound During pregnancy: A Randomized Controlled Trial
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/8105165

Controlled study of prenatal Ultrasound exposure in Children with Delayed Speech
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1485930/

Impact of prenatal ultrasound screening on perinatal outcome
http://content.nejm.org/cgi/content/short/329/12/821

Ultrasound: Weighing the Facts - Midwifery Today
http://www.midwiferytoday.com/articles/ultrasound.asp

Ultrasound: More Harm Than Good?
http://www.midwiferytoday.com/articles/ultrasoundwagner.asp

sábado, 12 de março de 2016

Salvar as Medicinas Naturais em Portugal: petição pelo direito a uma Saúde sem IVA

"Esta petição servirá para pressionar os vários partidos a votarem a favor da isenção de IVA para as medicinas naturais que será votada no final da próxima semana. 
Por isso ainda temos tempo para chegar com umas 20 mil assinaturas à Assembleia no dia da votação.

Não faz nenhum sentido que os medicamentos e as consultas médicas sejam comparticipadas, se possam colocar no IRS e no SNS são muitas vezes gratuitas e as medicinas naturais, para além de não terem nenhum destes benefícios, ainda se colocar a hipótese de terem de cobrar IVA aos seus pacientes! 

Nunca tínhamos visto nada assim antes uma vez que todas as leis que reconhecem as medicinas naturais caminham no sentido oposto: o da comparticipação.

Para impedir estas injustiças peço assinem e partilhem!

Muito, muito obrigado!

Segue o link da petição: «Salvar as Medicinas Naturais em Portugal: petição pelo direito a uma Saúde sem IVA» no endereço http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT80280"

sábado, 2 de janeiro de 2016

Medo do parto



Medo é uma sensação natural da vida e que se tornou profundamente conectada no nosso DNA para nos ajudar a sobreviver. A resposta de luta ou fuga é o que manteve o homem primitivo seguro e pode fazer o mesmo por ti numa situação de sobrevivência. 

E ter medo do parto é normal, é saudável...

Quando o medo é usado de forma saudável, a química no nosso corpo cria uma resposta que pode motivar-nos a tomar as ações certas, pode avisar-nos do perigo e dar-nos uma explosão de adrenalina para lidarmos com a situação ( e o que faz, por exemplo, escolher a posição para parir )

O medo (assim como a ansiedade) pode ser bom como dito acima, mas se não for corretamente doseado pode causar efeitos desastrosos, como partos muito longos e cesarianas. 

Se deixares o medo e a ansiedade levarem o melhor, sabotam toda a tua habilidade de fazer bons julgamentos e decisões assertivas. É por isso que, se tiveres um medo irracional do parto, precisas de aprender técnicas para controlar os medos e e acalmar em qualquer situação.

Então o que podes fazer para controlar a ansiedade? 
A pior coisa que podes fazer é fingir que não tem medos. Ter Medo não é mau, como tu respondes ao medo é que pode não ser vantajoso!

1. Pensa sobre o que te faz ter medo do parto? 
O que te assusta? O que poderia causar maior ansiedade enquanto estivesses a parir? Fala sobre isto com alguém, uma Doula pode ajudar.

2. Entende porque essas coisas te  metem medo. 
 É por que tu não estás preparada? 
Porque te mete medo parir?

3. Pega nas coisas que te assustam e prática esses medos... 
Por exemplo, se um de seus medos é não ter força suficiente, começa a praticar, inscreve-te em aulas de yoga para grávidas, prática exercício físico, etc. 

Lutar contra o medo do parto e  da maternidade é perder energia.. é alimentar esse medo e torna-lo mais forte e poderoso.. é torna-lo maior que nós...

Fazer desse medo um aliado, assumi-lo como nosso, mima-lo, acaricia-lo, trabalhar com ele, porque ele é teu e faz parte de ti, faz com que te tornes bem mais forte e poderosa enquanto o medo fica pequeno e indefesso como um bebé....

Depois vem o papel da Doula...A nós Doulas cabe-nos ficar com o teu medo ao colo enquanto tu uivas para ter o teu bebé! 
(E nós também temos os nossos medos e carregamos muitos deles para os partos que acompanhamos... Mas isto fica para outro post ...)

E tu, de que tens medo? 

A importância de perdoar



Hoje recebi um e-mail que falava de um exercício  que eu pratico diariamente e quero partilhar com vocês neste início de ano:

"Há uma prática budista na qual todos os dias os monges no final do seu dia pedem perdão entre si -  « Perdoa-me por qualquer pensamento, palavra ou gesto». O monge a quem é dirigido o pedido responde: «Perdoado. Perdoa-me tu também por qualquer pensamento, palavra e gesto» Eles fazem-no com a convicção de quererem fechar cada dia com a pureza dos seus corações intacta e também para afastar o medo, pois onde existe perdão não há lugar para o medo. "


Imaginem o quanto este exercício pode ser poderoso ! 

"Eu agradeço-te  por me perdoares,  dando-me a oportunidade de seguir em frente com confiança. Quero também dizer-te que estás perdoado e sou grata por através de ti e do perdão manter o meu coração focado na bênção e na liberdade de ser e estar viva plenamente."


Agora imaginem o que é fazer isto antes do parto? Com o companheiro, com o bebé, com os familiares! Deixo-te o desafio... Prática durante a gravidez, aplica no parto, e depois conta-nos como foi! 

( e isto é válido não só durante a gravidez mas durante toda a nossa vida! É um alívio brutal! Eu já experimentei .... Foi mesmo muito libertador!)



Desejo-te um 2016 mágico !

Desejo que possas parir em paz! ( não só bebés mas todos os teus sonhos!) 






quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Feliz ano de 2016



Eu acredito muito no poder da energia do ano novo. Sem sombra de dúvidas, o último dia do ano é aquele em que o nosso micro cosmo planetário recebe a maior quantidade de intenções, desejos de mudança e promessas de uma vida melhor.

É o início de um novo ciclo! Ciclo é uma palavra com origem no termo grego kýklos, que significa algo que se renova de forma constante. 


É a semente que agora virou a colheita. É o tempo que a Terra percorre ao redor do Sol. É momento da fecundação que resulta numa nova vida. São as fases lua. São as fases da água. É o tempo que se passa entre duas crises económicas . É o nascimento, crescimento e morte de uma pessoa. De uma vida. De um amor. De uma amizade. De um sofrimento. De um sentimento. De uma verdade.


Saber que tudo tem um fim é que nos liberta e que garante que o recomeço possa ser gratificante. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos – não importa o nome que se dá, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já acabaram.


O que passou não volta, não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, pessoas que ficam presas numa relação sem futuro.


É hora de fechar a porta, mudar o disco, limpar a casa. Deixe de ser quem era, e de transformar-se em quem já somos!!


Somos todos merecedores do novo ano e façamos dele realmente novo.

"Não existe família perfeita. Não temos pais perfeitos ,não somos perfeitos, não nos casamos com uma pessoa perfeita nem temos filhos perfeitos. Temos queixas uns dos outros. Decepcionamos uns aos outros. Por isso, não há casamento saudável nem família saudável sem o exercício do perdão. O perdão é vital para nossa saúde emocional e sobrevivência espiritual. Sem perdão a família se torna uma arena de conflitos e um reduto de mágoas. Sem perdão a família adoece. O perdão é a assepsia da alma, a faxina da mente e a alforria do coração. Quem não perdoa não tem paz na alma nem comunhão com Deus. A mágoa é um veneno que intoxica e mata. Guardar mágoa no coração é um gesto autodestrutivo. É autofagia. Quem não perdoa adoece física , emocional e espiritualmente. É por isso que a família precisa ser lugar de vida e não de morte; território de cura e não de adoecimento; palco de perdão e não de culpa. O perdão traz alegria onde a mágoa produziu tristeza; cura, onde a mágoa causou doença". Estou a citar o Papa Francisco... (!!! Oh meu Deus :)


Um ano realmente novo para todos nós!

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Feliz Natal

Desejo para o próximo ano gravidezes activas e livres de intervenções desnecessárias
Que todas as grávidas possam ter o parto com que sonham...
Para nascer bem é preciso muito pouco, é preciso acreditar no nosso corpo e deixar fluir a força da natureza.
Basta um ambiente tranquilo, silencioso,com muito amor...


quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Um bocadinho do nosso Natal




(2011)



A coroa do Advento tem uma simbologia importante cá em casa, o redondo cria harmonia, une, agrega. Faz-nos lembrar que vivemos num mundo circular, onde os processos são cíclicos e se repetem ano após ano. Assim temos a oportunidade de transformação a cada ciclo ;)




(2011)


Numa coroa de pinheiro ou cipreste são colocadas quatro velas que serão acesas a cada domingo que antecede o Natal. Eu conto histórias  e aproveitamos para montar o presépio ( que também tem um simbolismo próprio )



(2015)



Na primeira semana acendem-se a vela azul.Pedras, terra e areia são colocadas no presépio, representando o mundo mineral e sua ligação com o mundo físico (elemento terra).


Na segunda semana acendem-se a vela azul e a verde. São colocadas plantas, troncos, musgos e água para o presépio, representando o mundo vegetal e sua ligação com o mundo etérico (elemento água).


Na terceira semana acendem-se as velas azul, verde e amarela. Colocam-se os animais representando o mundo animal e sua ligação com o mundo anímico (elemento ar).


Na última semana acendem-se as velas azul, verde, amarela e vermelha. A luz se torna mais intensa, com a proximidade do nascimento da Luz, é o Natal, a festa da luz! Então são colocados os pastores, simbolizando as figuras humanas e no dia de Natal, o menino Jesus é colocado na manjedoura. Tudo isso representa o Reino Humano e sua ligação com o mundo espiritual (elemento fogo).



(Presépio de 2012)


Para nós o presépio simboliza a caminhada para a luz, Esperamos pela  noite mais longa do ano, onde a Deusa é reverenciada como a Mãe da Criança Prometida ou do Deus Sol, que nasceu para trazer Luz ao mundo. Também temos uma vela especial para o solstício do inverno. 

O presépio para nós tem uma simbologia muito forte- Da mesma forma que Maria vai percorrendo a sua caminhada, e apesar de todas as dificuldades, devemos sempre confiar na nossa própria luz interior.

Todos os dias a Maria avança pelo presépio e acendemos mais uma vela, e no dia 24 chega ao palheiro e acendemos uma vela mais bonita, normalmente dourada. 



( presépio em 23/12/2015)


Um grande beijinho e Feliz Natal! 



sexta-feira, 20 de novembro de 2015

WORKSHOP “REGRESSO ÀS ORIGENS




WORKSHOP “REGRESSO ÀS ORIGENS - a infância como início da linha da Vida c/vivências terapêuticas e movimento autobiográfico

12 de Dezembro | 10h-12h30 e das 14h-16h30, Fontanelas | Sintra

Quantos de nós não sabemos como nascemos, como demos os primeiros passos, quem cuidou verdadeiramente de nós, como foi o primeiro dia de aulas, o que sentimos, como reagimos às primeiras frustrações e angústias? 

Ou, se as memórias desse período tão importante são de sofrimento, como as podemos reviver e transformar? 

Ou ainda, por ter sido uma fase de grande prazer, fantasia, onde sentimos que tudo era perfeito, ficámos presos e não vivemos o presente?

Conhecer os comportamentos e reacções desta fase irá permitir-nos reconhecer os nossos padrões inconscientes, e assim, facilitar o nosso Caminho. 

As inscrições são efectuadas através do link: 
http://www.susanamilheirosilva.com/preacute-inscriccedilati… ou pelo e-mail smspsicologia@gmail.com

+info em: https://www.facebook.com/events/1518856431766876/