Sobre o blog:

“A humanização do nascimento não representa um retorno romântico ao passado, nem uma desvalorização da tecnologia. Em vez disso, oferece uma via ecológica e sustentável para o futuro” Ricardo H. Jones

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Feliz ano de 2016



Eu acredito muito no poder da energia do ano novo. Sem sombra de dúvidas, o último dia do ano é aquele em que o nosso micro cosmo planetário recebe a maior quantidade de intenções, desejos de mudança e promessas de uma vida melhor.

É o início de um novo ciclo! Ciclo é uma palavra com origem no termo grego kýklos, que significa algo que se renova de forma constante. 


É a semente que agora virou a colheita. É o tempo que a Terra percorre ao redor do Sol. É momento da fecundação que resulta numa nova vida. São as fases lua. São as fases da água. É o tempo que se passa entre duas crises económicas . É o nascimento, crescimento e morte de uma pessoa. De uma vida. De um amor. De uma amizade. De um sofrimento. De um sentimento. De uma verdade.


Saber que tudo tem um fim é que nos liberta e que garante que o recomeço possa ser gratificante. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos – não importa o nome que se dá, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já acabaram.


O que passou não volta, não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, pessoas que ficam presas numa relação sem futuro.


É hora de fechar a porta, mudar o disco, limpar a casa. Deixe de ser quem era, e de transformar-se em quem já somos!!


Somos todos merecedores do novo ano e façamos dele realmente novo.

"Não existe família perfeita. Não temos pais perfeitos ,não somos perfeitos, não nos casamos com uma pessoa perfeita nem temos filhos perfeitos. Temos queixas uns dos outros. Decepcionamos uns aos outros. Por isso, não há casamento saudável nem família saudável sem o exercício do perdão. O perdão é vital para nossa saúde emocional e sobrevivência espiritual. Sem perdão a família se torna uma arena de conflitos e um reduto de mágoas. Sem perdão a família adoece. O perdão é a assepsia da alma, a faxina da mente e a alforria do coração. Quem não perdoa não tem paz na alma nem comunhão com Deus. A mágoa é um veneno que intoxica e mata. Guardar mágoa no coração é um gesto autodestrutivo. É autofagia. Quem não perdoa adoece física , emocional e espiritualmente. É por isso que a família precisa ser lugar de vida e não de morte; território de cura e não de adoecimento; palco de perdão e não de culpa. O perdão traz alegria onde a mágoa produziu tristeza; cura, onde a mágoa causou doença". Estou a citar o Papa Francisco... (!!! Oh meu Deus :)


Um ano realmente novo para todos nós!

Sem comentários: