Sobre o blog:

“A humanização do nascimento não representa um retorno romântico ao passado, nem uma desvalorização da tecnologia. Em vez disso, oferece uma via ecológica e sustentável para o futuro” Ricardo H. Jones

sexta-feira, 14 de Janeiro de 2011

Como engravidar de uma menina

A pedido da P. aqui vão algumas dicas de como engravidar de uma menina.

• a relação deve ser até 2 dias antes da ovulação.


• as relações sexuais devem ocorrer antes da ovulação para diminuir a taxa de espermatozóides

• as lavagens vaginais antes das relações devem ser realizadas com 2 colheres de sopa de vinagre para 1 litro de água

• a mulher deve evitar o orgasmo para não aumentar a secreção vaginal alcalina que pode dificultar a chegada dos espermatozóides.

• a penetração não deve ser profunda no momento da ejaculação, já que o espermatozóide feminino se move lentamente e vive mais.

• a penetração deve ser com homem por trás da mulher, para que o esperma se deposite longe do colo uterino.

• dieta hipercalórica na semana, ou seja, rica em carboidratos, exagerando-se nos doces.




Não é o homem que determina o sexo do bebé, ao contrario do que sempre ouvimos, nem o espermatozoide mais forte que penetra no óvulo! Quem faz a selecção do espermatozoide é o óvulo da mãe! Ó óvulo é que se "abre", ou se deixa penetrar pelo espermatozoide que ele escolheu! Mas há alguns detalhes sobre os cromossomas x e y. O x que é o de menina é mais lento mas vive mais, até 72 horas. O y de menino é mais rápido mas só cerca de 24 horas. Se tiver relações no período fértil as chances do cromossomas Y chegar é maior (uma vez que eles são mais rápidos), se tiver nos dias mais distantes da ovulação o cromossomas y pode morrer antes de chegar no óvulo.


Não existe método 100% seguro, mas este pode aumentar a probabilidade.

Como descobrir o nosso período fértil?

A mulher só é fértil durante aproximadamente 10 horas no mês, que é o tempo de vida do óvulo depois de sua saída do ovário, o que ocorre apenas uma vez por mês.


O método natural mais antigo que se conhece é o Ogino-Knauss, também chamado de Método de Ogino-Knauss, Calendário ou Tabelinha, que permite obter, mediante cálculos matemáticos, os dias de fertilidade do casal, levando em conta que a mulher ovula apenas uma vez ao mês, nos 14 dias antes da próxima menstruação e que o óvulo vive aproximadamente 10 horas após a ovulação e o espermatozóide 72 horas depois da ejaculação, no muco fértil.

Quando os ciclos são regulares o método é útil, porém, dadas as frequentes irregularidades, o método tem muitas falhas que geralmente se produzem porque o tempo entre a menstruação anterior e a ovulação depende da hipófise e ela por sua vez do hipotálamo e este do córtex cerebral; de maneira que qualquer stress poderá fazer com que a ovulação se atrase ou adiante. O mesmo não acontece com a segunda fase do ciclo que, quase sempre, é regular para toda mulher e que dura aproximadamente duas semanas, entre a ovulação e a menstruação seguinte.

Os cálculos são feitos tomando-se em conta os 12 ciclos anteriores. Do ciclo mais curto subtrai-se 19 dias e do ciclo mais longo 11 dias. C=19 e L=11. Por exemplo, suponhamos que a duração dos ciclos nos 12 meses anteriores foram de: 28, 27, 31, 32, 28, 30, 29, 32, 30, 28, 32 e 28 dias. O mais curto é de 27 dias e o mais longo de 32. Nesse caso teremos 27-19 = 8 e 32-11 = 21, de forma que por este método o casal seria fértil do dia 8 ao dia 21.


Método da Temperatura Basal

O método da temperatura basal tem como fundamento o aumento da temperatura que a progesterona provoca na mulher. Esta hormona começa a circular na segunda fase do ciclo menstrual. Quando a temperatura da mulher sobe é sinal de que ovulou.

Normalmente a temperatura sobe 2 décimos de grau Centígrado ou 4 Farenheit. Para registrar esse aumento de temperatura há que medir, diariamente, a temperatura basal com o mesmo termómetro, nas mesmas condições e às mesmas horas, após duas horas de repouso, no mínimo.

Método aviso da ovulação

O Método aviso da ovulação é um sistema natural e gratuito de regulação da fertilidade baseado na determinação, por parte da própria mulher, das fases férteis ou inférteis de seu ciclo menstrual, reconhecidas pela observação diária da Secreção vaginal recolhido à entrada da vagina.

Este muco apresenta variações durante o ciclo feminino, durante o período de fértil apresenta-se mais espesso e coeso podendo ser observado ( quando manuseado ) a formação de um fio entre os dedos, no período infértil, as glândulas do colo uterino produzem mucos cada vez mais aquoso e fluido, que quando manuseado não será observado a formação de um fio.

Este método consiste em anotar diariamente em um gráfico as mudanças que observa na secreção vaginal. Com este método a mulher deve passar um papel higiénico na vagina antes e depois de realizar as suas necessidades e observar se aparece ou não o muco, bem como as suas características.

Método da auto-apalpação do colo do útero

O Método da Auto-apalpação Cervical é baseado nas mudanças das características do colo uterino, conforme o momento do ciclo menstrual pelas influências hormonais. Quando a mulher é fértil o colo está alto, macio e com o orifício central entreaberto, enquanto que na fase infértil o colo está baixo, encontrando-se muito facilmente quando se introduz os dedos na vagina, e está duro com o orifício externo fechado.

Método Sintotérmico

O Método Sintotérmico não é um método como tal, mas uma combinação de vários métodos uma vez que combina o cálculo pré-ovular de Ogino, as alterações do muco cervical do Método Billings, o registro da Temperatura Basal, a autopalpação do colo e cólica intermenstrual da ovulação. Pode-se utilizar a combinação de todos estes métodos ou apenas alguns deles.

2 comentários:

Edivânia Jesus disse...

Ótimo post, muito informativo.
Parabéns!

Marta Lima disse...

lol

Também foi assim que me ensinaram... que o óvulo é quem escolhe e que a concepção é um momento de amor... os espermatozóides não estão em competição, os não escolhidos acompanham e ajudam o escolhido a chegar ao óvulo.

mas então... se é o óvulo que escolhe... e se os outros espermatozóides ajudam... não será que se ele quiser um de menino, vai mesmo conseguir?