Sobre o blog:

“A humanização do nascimento não representa um retorno romântico ao passado, nem uma desvalorização da tecnologia. Em vez disso, oferece uma via ecológica e sustentável para o futuro” Ricardo H. Jones

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Centro de nascimento na MAC

Esta era a noticia que eu esperava..... para poder continuar o meu trabalho....
E agora pergunto eu, se brevemente as grávidas terão estes direitos, porque não começar JÁ.... Só daqui a alguns meses é que é seguro??????


Parto natural na MAC este ano
Texto: Patrícia Lamúrias - Revista Pais&filhos
15 Janeiro 2009
Até ao final deste ano, a Maternidade Alfredo da Costa (MAC), em Lisboa, deverá contar com um centro de nascimento, um espaço preparado para receber mulheres que queiram um parto com o mínimo de medicalização.



A garantia foi dada esta quinta-feira por Jorge Branco, presidente do conselho de administração da maternidade, durante a apresentação do equipamento para o novo Banco de Leite Humano.



Jorge Branco explicou que este novo espaço será constituído por dois quartos, com banheiras que permitam às grávidas fazerem a dilatação na água, uma sala de estar («não de espera») e salas de observação. O objectivo é que as grávidas possam beneficiar de um ambiente tranquilo e familiar, ao contrário do que acontece nos hospitais. As alterações começarão logo à entrada, uma vez que as mulheres que forem para o centro de nascimento entrarão por outra porta, que não a das Urgência, garantindo maior privacidade e mais tranquilidade.



Durante o parto, as mulheres não terão de estar ligadas ao soro, nem será administrada ocitocina. Também não haverá recurso a epidural à partida. Em relação ao CTG (aparelho que mede o batimento cardíaco do bebé), a MAC irá adquirir aparelhos de telemetria (uma espécie de CTG portátil), que permitirá às grávidas caminharem durante o trabalho de parto e terem os filhos na posição que lhes for mais confortável. A grávida poderá ainda ter dois acompanhantes, durante todo o tempo, na sala de parto. A família poderá estar à espera na sala de estar.



Os profissionais de saúde que irão trabalhar neste espaço terão formação adequada para o parto natural. As mulheres terão de ser seguidas na MAC para poderem ter os filhos neste espaço. A MAC partiu para este objectivo, segundo Jorge Branco, devido à grande procura por parte das mães e a uma grande vontade dos profissionais da maternidade em tornar o parto humanizado mais acessível.



Ainda segundo Jorge Branco, o centro de nascimento poderá custar cerca de 200 mil euros. Neste momento, falta «apenas» ter o dinheiro para a obra começar. No entanto, o director da MAC está confiante de que conseguirá avançar com o projecto em breve.


Os meus parabéns!!! principalmente a todas as mulheres que enviaram os seus planos de parto para a Mac, pois se isso não tivesse acontecido não teríamos este novo centro de nascimento.
Se não fossemos nós :) este centro não abria!
Vou enviar um mail para a Mac a felicitar a iniciativa!

7 comentários:

moya disse...

Eu também!
E já agora perguntar se precisam de voluntários para alguma coisa ou donativos :)

Só não falam é em doulas :(

beijinhos

Cat disse...

falam de doulas sim... se se pode ter 2 acompanhantes:)

Catarina disse...

Mais um passo foi dado...! :)

P e M disse...

Gostei particularmente de "uma sala de estar («não de espera»)"... é, para mim, a cereja em cima do bolo...

Cada vez mais gosto do Dr Jorge Branco, só é pena o pessoal médico que ele dirige não esteja "todo normalizado" em termos de conhecimentos e práticas médicas.

Grão de Amor disse...

Estou tão contente, não imaginam como estou radiante e sim as doulas fazem parte deste projecto, dois acompanhantes, este lugar só pode ser para vocês!!!
Espero com ansiedade que isto se torne realidade!
Cat não desista, como vê lutar sempre vale a pena.
Bjos

mjf e pmp disse...

Ois!
Já mandei um mail para lá.
Claro que os 2 acompanhantes está subentendido ;) mas falava da nossa conversa na 3a feira (de haver mesmo doulas lá a prestar serviço)...

beijocas,
m.

Ana disse...

Só é pena que medidas dessas ainda vão levar muito tempo até chegarem ao Algarve, onde vivo... mas quem sabe um dia...

:)