Sobre o blog:

“A humanização do nascimento não representa um retorno romântico ao passado, nem uma desvalorização da tecnologia. Em vez disso, oferece uma via ecológica e sustentável para o futuro” Ricardo H. Jones

quarta-feira, 16 de março de 2011

A maternidade e o encontro com a própria sombra



Passagens do livro:

sobre o puerpério:
” É preciso que as mães enlouqueçam um pouco, e para isso elas precisam de apoio daqueles que as amam, que lhes permitam abandonar sem risco o mundo racional, as decisões lógicas, o intelecto, as idéias, a atividade, os horários, as obrigações. É indispensável submergir nas águas do oceano do recém-nascido, aceitar as sensações oníricas e abandonar o mundo material”

sobre amamentação:
“Dar de mamar é estarmos soltas, poderosas, famintas, como lobas, leoas, tigresas, cangurus ou gatas. Muito semelhante as mamíferas de outras espécies em total apego pelas crias, ignorando o resto da comunidade, mas atentas, milimetricamente, às necessidades do recém-nascido.
Extasiada diante do milagre, tentando reconhecer que fomos nós mesmas que o tornamos possível, e nos reencontrando com o que é sublime. É uma experiência mística se nos permitimos que assim seja.
Isto é tudo de que se necessita para poder amamentar um filho. Nem métodos, nem horários, nem conselhos, nem relógios, nem cursos. Apenas apoio, proteção e confiança em ser você mesma mais do que nunca. [...]
As mulheres que desejam amamentar têm o desafio de não se distanciar de forma desmedida de seus instintos selvagens. Costumam raciocinar, ler livros de puericultura, e assim, entre tantos conselhos supostamente ‘profissionais’, acabam perdendo o eixo.”


Para comprar: euquero@parirempaz.com
Preço: 20 euros

2 comentários:

Aline Staskowian Benetti disse...

Gostaria de comprar o livro. Vcs tem para vender? Está esgotado em todas as livrarias da internet. Muito obrigada!

Rita disse...

Tem para vender?