Sobre o blog:

“A humanização do nascimento não representa um retorno romântico ao passado, nem uma desvalorização da tecnologia. Em vez disso, oferece uma via ecológica e sustentável para o futuro” Ricardo H. Jones

domingo, 28 de fevereiro de 2010

O bebé é teu! Não deixes que o levem!

Falamos muito sobre as intervenções desnecessárias nas mulheres em trabalho de parto, falamos muito pouco das intervenções desnecessárias aos bebés depois de nascer...

O bebé precisa de estar em contacto com a sua mãe! Promover o contacto pele com pele é fundamental! Mas não são aqueles segundos que colocam os bebés (acabados de nascer) junto da mãe! É muito mais que isso!

Pesar, medir, lavar e vestir podem ser feitos mais tarde! Tudo pode esperar menos o contacto pele com pele!


É fácil perceber os benefícios do contacto bebé-mãe, do aleitamento materno e do corte do cordão mais tarde. Mas quais são os riscos de separar um bebé da sua mãe?

- Risco queda de temperatura e outros riscos associados
- Aumento stress
- Probabilidade aumentada de fracasso do aleitamento materno
- Contacto com bactérias
- Infecção iatrogénica

Já tinham pensado nisto?

É comum que após o parto complicado ou cesariana os bebés sejam separados das suas mães.... e pergunto eu, porquê???
Pela necessidade de observação? Mas o bebé não pode ser observado no colo da sua mãe?

Um bebé que nasceu por cesariana pode ser colocado sobre sua mãe logo após nascer.... e se a mãe não poder ficar em contacto com o seu bebé.... que fique o pai!

O bebé é teu! Não deixes que o levem! Mesmo que o levem para aquecer (!!!!!!!!!!), para o observar, para o vestir, para a mãe descançar(!!!!!!!!!!!!!)......

Excelente informação em espanhol sobre este assunto AQUI


Não deixem de ver o filme "What Babies Want".
Deixo-vos o trailer:



O site do filme AQUI

2 comentários:

Patricia S disse...

Vamos agradecer sempre à pediatra com quem conversámos no SAMS, pela importância que teve na decisão de termos a nossa bebé em casa. Mais do aquilo que fazem com o meu corpo que pode afectar a bebé, quando não nos dão opções em relação ao que fazem ao bebé logo a seguir ao parto...não fazia sentido "baixar os braços". Já passou mais de um mês e ainda não passou a vontade de "bradar" aos céus este raio de procedimento hospitalar!!!

want a miracle disse...

Olá Catarina,
o meu bebé nasceu na Estefânia e nem me posso queixar muito do parto mas assim que ele nasceu começaram os problemas. Eu estava reparada para argumentar e até cheguei a gritar que queria o meu filho comigo mas a nossa vulnerabilidae no pós parto é demasiado grande e assim que cheguei ao recobro literalmente arrancaram-mo dos braços sem uma única palavra e só o voltei a ver passadas duas horas. Não o via mas ouvia-o a chorar, cheguei a pensar que estava em delírio porque só ouvia o choro do meu bebé, como é que é possível se lá deviam estar tantos outros?
Não deveríamos começar a exigir a presença do/a acompanhante também no pós parto.
O ideal seria tratare mães e bebés com respeito e dignidade (para não falar em amor e carinho) mas enquanto isso não acontece, a presença do/a acompanhante no recobro sempre nos protegia....