Sobre o blog:

“A humanização do nascimento não representa um retorno romântico ao passado, nem uma desvalorização da tecnologia. Em vez disso, oferece uma via ecológica e sustentável para o futuro” Ricardo H. Jones

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Pintar Mandalas durante a gravidez - um excelente exercício



Mandala (मण्डल) é a palavra sânscrita que significa círculo, uma representação geométrica da dinâmica relação entre o homem e o cosmo.

Jung descobriu que a mandala tem capacidade de harmonizar internamente quem a cria, percebeu que essas imagens circulares, são movimentos que nos levam a um crescimento psicológico, e expressam reconciliação interna. A mandala tem a capacidade de influenciar o meio onde ela é inserida. (espreitem este estudo MANDALA: UM ESTUDO NA OBRA DE C. G. JUNG )

A função de uma mandala é definida principalmente pela aplicação da GEOMETRIA SAGRADA, que é o estudo das ligações entre as proporções e formas no microcosmo e no macrocosmo com a finalidade de compreender a Unidade que permeia toda a Vida. O conhecimento e a aplicação da Geometria Sagrada estão presentes na história do mundo: nas artes, na música, na arquitetura.

Quando criamos mandalas, conscientes de que a forma define a função e de que a função pede a forma, podemos desenvolver objectos que auxiliarão na obtenção de objectivos, sejam correlacionados à saúde, expansão, prosperidade, organização.

Potencializamos essa criação ao usarmos AS CORES propícias, uma vez que as cores agem sobre a nossa biosfera, definem para nós o existente e o inexistente, revelam nosso estado de saúde e nosso nível de prosperidade. Inspiram emoções e moldam a nossa conduta.

Com essas considerações, ao criar uma mandala, nós promovemos um exercício de harmonização pessoal e ambiental.


As mandalas têm habilidade e poder de actuar como condutores de energia de cura física e espiritual.

Olhe a mandala desejada com o corpo relaxado por, pelo menos, 5 minutos e 2 ou 3 vezes por semana. Fixe a energia nos seus olho e deixe então que se espalhe por todo o corpo e aura. Pode demorar algumas semanas para que os resultados apareçam visivelmente (a maioria das pessoas sente imediatamente), mas como qualquer outro exercício valioso, a prática é a chave.

Os benefícios de pintar mandalas durante a gravidez, o parto, e o pós-parto são muitos:

- Relaxamento e Expansão do nível de consciência

- Favorecimento da escuta interna (sentimentos, emoções)

- Desenvolvimento de interação mãe/pai – bebê

- Ampliação da energização interna, voltada ao processo gestacional

- Aprendizagem de técnicas de concentração e equilíbrio

- Expressão e desenvolvimento da criatividade

- ....

Dicas para colorir mandalas:


Imprima a mandala ( por exemplo DAQUI - mandalas para colorir )
Procure um local tranquilo.
Respire fundo algumas vezes para acalmar sua mente e pinte-a com o material á sua escolha - lápis de cor, canetas, tinta, guache, etc.
Seja espontânea na escolha das cores.
Siga sua intuição ao decidir pintar sua mandala de dentro para fora ou de fora para dentro. Uma vez decidido, mantenha a direcção.
Não deixe áreas em branco. Pinte-as com a cor branca e evite interromper a pintura da sua mandala. Esse tempo é importante para um melhor aproveitamento do “efeito terapêutico” da pintura de mandalas. É um tempo precioso para passar consigo mesmo, desligar-se da correria do dia-a-dia e relaxar enquanto se concentra na actividade.
Não se preocupe com o resultado final. Deixe que seja uma actividade prazerosa.
Faça experiências, use cores e materiais de pintura diferentes.
Preste atenção aos pensamentos, idéias, sensações e emoções que irão surgir.
E o fundamental: Divirta-se!


O exercício de pintar uma mandala é uma forma de meditação. Onde quer que essa meditação a leve, seja o que for que vivencie, o que encontrar só pode ser você mesmo e as suas criações. Todas as experiências, pensamentos, ideias, sonhos e imagens interiores serão sempre o reflexo de nós mesmo. Ao repetir esses exercícios, muitas vezes, com o tempo o seu interesse pelas próprias divagações também diminuirá e você penetrará cada vez mais no centro (no seu e no da mandala).

Ao pintarmos uma mandala, a sua estrutura perfeita produzirá também efeitos semelhantes na nossa estrutura.

Enquanto pinta tente responder mentalmente ás perguntas:

-Olhe para dentro de si mesmo e veja se a sua tendência é permanecer dentro da estrutura e dos limites dados ou ultrapassar as linha do modelo?

-Prefere começar pelo centro ou pelas bordas, ou outro ponto qualquer?

-Tem paciência para pintar ou quer fazer tudo apressadamente?

-Quais as cores que gosta mais de usar?

-Gosta da sua obra ou está descontente com ela?

-Reconhece-se nela?

-Tem vontade de fazer outra, ou acha que já fez demais?

-O que sentiu ao pintá-la?

Depois de alguns exercícios, estará apta a desenhar sua própria mandala.

Para saber mais sobre mandalas:

CHANDRA, T.; KUMAR, R. Gods, goddesses & Religiosious
symbols of Hinduism, Buddhism & Tantrism. Kathmandu, Nepal:
Modern Printing Press, 2005.

DAHLKE, R. Mandalas: formas que representam a harmonia do
cosmos e a energia divina. São Paulo: Pensamento, 2003.

FINCHER, S.F. O autoconhecimento através das mandalas. São
Paulo: Pensamento, 1998.

FIORAVANTE, C. Mandalas: como usar a energia dos desenhos
sagrados. São Paulo: Pensamento, 2002.

GREEN, S. El Livro de los mandalas del mundo. Santiago, Chile:
Océano Âmbar, 2005.

MOACANIN, R. A Psicologia de Jung e o Budismo Tibetano. São
Paulo: Cultrix, Pensamento, 1999.

2 comentários:

Enfª Maylu Souza disse...

Adorei seu post sobre mandalas! Realmente deve ser uma terapia muito relaxante não só para as grávidas! :)

Marta Lima disse...

Há já um tempo que arranjei umas mandalas para crianças e a minha filha adora pintá-las. são mesmo momentos mágicos!