Sobre o blog:

“A humanização do nascimento não representa um retorno romântico ao passado, nem uma desvalorização da tecnologia. Em vez disso, oferece uma via ecológica e sustentável para o futuro” Ricardo H. Jones

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Ken Robinson: Escolas matam a criatividade?




Comentem....

5 comentários:

P e M disse...

Um único comentário da minha parte: às duas por três o realizador dá-nos uma perspetiva da sala e a maioria das pessoas está-se a rir, mas há (pelo menos) um senhor (+/- a meio da imagem) sério... a pensar...

Quantas destas pessoas vão a
estes worksohps e saem de lá "com a mesma cabeça"? A maioria, digo eu.

Quantas destas pessoas vão a estes workshops e saem de lá a pensarem efectivamente nas palavras proferidas? Uma minoria, digo eu!

Cat, quantas pessoas (Mães, Pais e a cima de tudo Bebés) já ajudaste? Segundo um profissional médico uma minoria (digo eu), segundo a tua opinião...

Bem sei que querias (talvés) ajudar muitas mais pessoas, mas... a "engrenagem está perra". Há que ser persistente...

Rituais Maternos disse...

Olá Catarina!

Simplesmente brilhante. Adorei!
Confesso que até me emocionei.

Obrigada por partilhar.

MJ

Sofia disse...

Adorei! E concordo, até iria mais longe nalguns pontos.
As escolas não estimulam a criatividade nas crianças e a sociedade bloqueia a criatividade aos adultos. Se és uma pessoa criativa, sonhadora, catalogam-te como "louca", o que tem uma conotação bastante pejurativa...

Bjs

P e M disse...

"Se és uma pessoa criativa, sonhadora, catalogam-te como "louca", o que tem uma conotação bastante pejurativa..."

Mas a gente não se importa realmente, pois não?

Ok. Da primeira vez e da segunda até nos importamos e levamos a mal, mas a partir de certo ponto... Quero lá saber, não é?!

;o)

Isabel de Matos disse...

Obrigada por partilhares, adorei ver.
Também ando sempre às voltas deste assunto da educação "natural" e dos nossos talentos, qualquer dia temos que formar uns grupos de incentivo a que (em todas as idades, de preferência logo desde pequenos) descubramos e desenvolvamos os nossos talentos tão particulares e únicos e não sejamos submetidos às atrocidades que os paralisam.
Beijinhos
Isabel