Sobre o blog:

“A humanização do nascimento não representa um retorno romântico ao passado, nem uma desvalorização da tecnologia. Em vez disso, oferece uma via ecológica e sustentável para o futuro” Ricardo H. Jones

terça-feira, 16 de setembro de 2008

A preparação para o "parto sem dor" é uma publicidade enganosa!

O parto tem e terá sempre dor, mas é uma dor que quem a experimentou, de uma forma desmedicalizada, de uma forma natural, a esquece logo após o nascimento. É totalmente suportável pois os picos de dor alternam com pausas de ausência da dor.
Por isso antes de escolher um curso de preparação para o parto informe-se!

O parto é algo fisiológico, a preparação para o parto devia de focar as mulheres para a sua participação activa no parto, "empoderando-as", lembrando-as que são elas as actrizes principais daquele momento tão especial das suas vidas, lembrando-as da sua capacidade inata para parir! E não focarem a preparação para o parto na respiração!!!!

Será isto possível nos hospitais portugueses?
Eu penso que sim!
Quanto mais mulheres se consciencializarem dos benefícios de um parto natural, e dos riscos de um parto medicalizado, mais mulheres vão exigir ao hospital as condições recomendadas para um parto normal. Por isso o plano de parto é tão importante e devia de ser falado nos cursos de preparação para o parto! Desconfie se não lhe explicarem como se faz um plano de parto no seu curso de preparação para o parto!
Todos os protocolos hospitalares devem ser bem explicados, tanto pelo seu medico, como no seu curso de preparação para o parto.


Segundo ESTE estudo concluiu-se que a participação de mulheres em aulas de preparação para o parto parece não ter tido grande impacto na experiência de parto e na maternidade em si, permitindo no entanto aumentar a rede de contactos dos novos pais.
Foram consideradas 1197 mulheres suíças.
Os resultados foram que 74% das inquiridas declararam que o curso que frequentaram ajudou na preparação para o parto, e 40% para a maternidade, 58% das participantes mantinham contacto com outras participantes um ano após o parto.
Ao controlar as mulheres que participaram e as que não participaram em cursos de preparação para o parto, não se encontram diferenças estatisticamente significativas no que diz respeito à memória de dor no trabalho de parto, na forma de parto, a experiência em si de uma forma global, na duração da amamentação, nem na postura face à maternidade. Contudo as mulheres que participaram nos cursos tiveram uma taxa superior de epídural.

Escolha bem o seu curso de preparação para o parto pois este não devia de servir só para "ensinar a respirar" ou focar-se na higiene do bebé!

2 comentários:

Barrigas & Bebés disse...

CLAP, CLAP, CLAP!!! Muito bom, amiga, muito bom mesmo!! Acho que vou aproveitá-lo para uma newsletter, que dizes? :-)

Cat disse...

Claro!